Bruno Queiroz

FOTO: Aurélio Alves/O POVO

Desde 2001, quando se graduou pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), o advogado Bruno Queiroz trabalha focado na missão que a profissão dele suscita: fazer valer o direito do outro. “Sempre tive uma grande predileção pela advocacia criminal. Não existe atividade mais nobre e corajosa do que defender a liberdade do ser humano”, afirma.

Há 16 anos atuando no mercado como criminalista, Bruno é sócio-fundador do escritório Queiroz Bastos Advogados Associados. Com especialidade em direito penal econômico, ele tem em sua cartela de clientes diretores, superintendentes, presidentes de instituições financeiras e empresas de diversos segmentos.

“Acredito que vale muito a pena fazer valer o direito das pessoas, principalmente num país onde o poder público, constantemente, pratica abusos de toda a sorte. Como advogado, tenho a possibilidade de defender as pessoas e, como professor, posso transmitir conhecimento, algo muito gratificante”, se orgulha.

O profissional atualmente leciona na Unichristus, na Escola Superior do Ministério Publico (ESMP) e na pós-graduação em direito penal empresarial da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), do Rio Grande do Sul. Paralelamente à atuação no mercado, o advogado vem desenvolvendo carreira acadêmica passo a passo. É especialista em direito penal e processo penal pela Universidade Estácio de Sá (RJ), mestre em direito público pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e doutor em direito (Universidade de Fortaleza).

Como autor, publicou os seguintes livros:Direito Penal no Século XXI: Desafios e Perspectivas (2012, Editora Conceito),30 Anos da Lei de Execução Penal(2014 Editora Conceito) eA Crise da Legalidade Penal no Constitucionalismo Contemporâneo (2018, Editora Conceito). Quando o assunto é inspiração, o advogado tem um nome certeiro para citar: o professor universitário, pesquisador, escritor e advogado Juarez Cirino dos Santos.

O “mestre” de Bruno é pioneiro da criminologia crítica no Brasil e atualmente atua como conselheiro estadual titular da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/Paraná) e é ainda presidente do Instituto de Criminologia e Política Criminal. “Eu me inspiro tanto pelo conhecimento jurídico quanto pela altivez no exercício da advocacia”, aponta. Na OAB/Ceará, Bruno é secretário geral da comissão de contas, exercendo também os cargos de conselheiro estadual e presidente da comissão de acompanhamento da reforma do Código Penal.

É ainda presidente do conselho editorial da Revista de Direito da Associação Nacional dos Advogados da Caixa Econômica Federal (Advocef), instituição que defende enquanto procurador. O jurista é ainda integrante do Conselho Municipal de Cidadania e Segurança Pública, em Fortaleza.

Entre as homenagens que já recebeu durante sua trajetória, destaca-se o título de um dos advogados cearenses mais admirados nos anos de 2009/2010, 2011/2012, 2014/2015, 2016/2017, outorgado pela Fundação Delmiro Gouveia para o Desenvolvimento/IDG. Também recebeu da OAB/Ceará, em 2010, homenagem pelos relevantes serviços prestados na formação de novos advogados no Estado, na qualidade de professor universitário, e no ano de 2017, a medalha Advogado Professor Padrão.

Atua fortemente na Justiça Federal do Ceará, TRF 5ª Região e Superior Tribunal de Justiça (STJ). Para além do trabalho com a leis, tem amor pela música e está sempre reunindo amigos em torno dessa arte. Bruno é casado com a advogada Juliana Bastos Aires Queiroz e é pai de Maria Beatriz Aires Queiroz Oliveira.