Eduardo Pragmácio Filho

FOTO: Aurélio Alves/O POVO

Para o advogado Eduardo Pragmácio Filho, o Direito chegou quase como uma herança. “A inspiração inegavelmente veio do meu pai, advogado talentoso, muito querido e respeitado por todos, de quem herdei o nome, o sobrenome e o peso de não poder decepcioná-lo”, conta o jurista.

Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Ceará (UFC) no ano de 2001, ele atua no âmbito das relações de trabalho, em negociações coletivas, contencioso e consultivo trabalhista, sobretudo para empresas e entidades de classe. Eduardo vem construindo currículo pautado na pesquisa. Em 2003, ele se especializou em direito empresarial pela Universidade Estadual do Ceará (Uece).

Em 2010, se tornou mestre em direito do trabalho pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), instituição onde cursou também o doutorado, obtendo o título em 2017. Já estudou nas universidades italianas de Roma Tor Vergata, de Pádua e na Ca’Foscari, em Veneza. Como norte profissional, um preceito: “É preciso encontrar um equilíbrio entre o novo trabalho e o velho direito. Encontrar uma saída que atenda aos anseios da empresa sem ferir sua responsabilidade social e trabalhista”, afirma.

O profissional é sócio-fundador da Furtado Pragmácio Advogados, que há 12 anos atua na Capital. Eduardo dirige o escritório ao lado dos advogados João Rafael Furtado e Tomás Figueiredo Filho.

Ele é consultor jurídico da Fecomércio-CE na área de relações de trabalho e também conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil/Ceará (OAB/CE) (2016/2018). Foi vice-presidente da Associação dos Advogados Trabalhistas do Ceará (Atrace), entre 2005 a 2010. Como professor, trabalha há 14 anos no Centro Universitário Farias Brito (FBuni), onde compõe o Núcleo Docente Estruturante (NDE).

Já atuou em variados centro universitários a exemplo da Fundação Universitária do Sertão Central e da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). Tem dois livros publicados na área jurídica:A boa-fé nas negociações coletivas trabalhistas eA Teoria da Empresa para o Direito do Trabalho Brasileiro.

É autor de artigos publicados em periódicos locais, nacionais e no exterior, comona revista LTR, no portal Conjur e no Jornal Trabalhista Consulex. Tem textos compondo livros comoA Aplicação da Teoria do Diálogo das Fontes no Direito do Trabalho eA Aplicação do novo Código de Processo Civil no Processo do Trabalho. O advogado tem também viés literário. Ele é poeta e já publicou dois livros com seus versos:Oblívio da Ilusão eEstranheza.