Paulo Franco

Aurélio Alves/O POVO

“A possibilidade de conhecer o regramento da nossa sociedade, sua estrutura, finalidade, garantias e princípios é o que credencia o profissional do Direito a ser um agente de transformação social”. Esse foi o pensamento que motivou o advogado Paulo Franco Rocha de Lima a escolher a advocacia como carreira a ser seguida.

Graduado pela Universidade de Fortaleza (Unifor), em 1992, instituição pela qual também se pós-graduou em direito do trabalho três anos depois, Franco atua na área trabalhista, prestando assessoria e consultoria. Com 25 anos de carreira, Franco se orgulha do momento em que percebeu ter na sua carteira de clientes diversos colegas advogados que o incumbiram da missão de defender seus interesses.

Outro marco na carreira foi a publicação de artigo, intitulado “A Relativização da Intangibilidade do Salário e seus Reflexos na Execução Trabalhista”, pelo Jornal Trabalhista Consulex, de Brasília, em 2008. É casado com Jamille Ipiranga de Lima, com quem teve dois filhos: a universitária do Direito Letícia Ipiranga de Lima e o estudante Paulo Franco Rocha de Lima Filho, que cursa o Ensino Médio.

Assim como a filha, teve dentro de casa a inspiração para ser advogado. Seu pai, Antônio Cícero Viana de Lima, que também abraçara a advocacia como carreira profissional. Acredita no valor de atuar profissionalmente na defesa da pacificação dos conflitos sociais que envolvem o capital e o trabalho. Ex-piloto de rali de regularidade, hoje se dedica somente às corridas de rua (running). No tempo livre, é adepto das viagens.

“Por que continuar sendo a mesma pessoa, se eu posso ser alguém muito melhor?”, diz, parafraseando o norte-americano Richard Bandler, especialista em Programação Neurolinguística (PNL) ao qual tem como inspiração.